Acaba Mundo CCLVII

março 9, 2019

Hoje são nove de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Coletes amarelos continuam marchando na França; nós aqui corremos a gritar extrema direita, mas parece que é no mínimo mais complicado. O diplo vê uma tremenda contestação do status quo e do ultraliberalismo de Macron. Só não sei se já não viraram paisagem a esta altura. Dieese aponta: mulheres são as mais prejudicadas na reforma de previdência. Seguem polêmicas em torno de Abreu e Olavo, e eu mal me animo a registrar; o primeiro provoca cizânia na esquerda e o outro finge que quer se desvencilhar do governo. Ministros abriram a farra dos passaportes diplomáticos para a família. Bem, agora parece ter acabado o carnaval então semana que vem deve começar pra valer o rolo compressor para comprar a reforma da previdência, da qual depende toda a felicidade da nação para governo e mídia, que só ataca o Bozo no que é acessório, talvez preparando o terreno para quando o pacote de maldades já tiver sido aprovado e ele se tornar descartável. Enquanto isso, vem à tona que o “acordo” do DoJ com a Petrobras inclui a revelação de todos seus segredos industriais. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCLVI

março 8, 2019

Hoje são oito de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Bozo cria mais um factoide para despistar, dessa vez foi uma ilustração de como usar camisinha nas cadernetas de vacinação. No dia da mulher ele alega que tem um gabinete equilibrado “porque as duas valem por dez”. O governo se sai com a absurda hashtag #salve uma mulher, e a incrível ministra da goiabeira ataca o feminismo porque “se houver igualdade, os meninos vão achar que elas aguentam porrada”. Zé de Abreu chega ao Brasil e é recebido com fanfarra, enquanto se briga ainda mais em torno de sua figura. O gincaneiro foi tão longe a ponto de “nomear” Marielle Franco sua primeira dama. Em Guarulhos, material nas escolas traz foto de Bozonazi na capa. Ele para tentar se recuperar agora e promete o fim da lombada eletrônica. Também se obstou a um curso do BB sobre assédio moral e sexual. Mas isso é miudeza de novo. E nada do mundo acabar.

Acaba Mundo CCLV

março 7, 2019

Hoje são sete de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Acabou o carnaval e os blocos estão sendo multados como forma de represália estatal. Policial acha pertinente deixar claro que não tem problema em meter a mão em mulher. Enquanto se ridiculariza o Bozo, e talvez por isso, ele mostra seu lado Nazi, e como quem diz “eu vou chamar meu pai” diz que a democracia só existe enquanto as FFAA quiserem. Tem até uma conversa agora que o gincaneiro Zé de Abreu poderia ser preso, e pediu um HC preventivo até. Eu não sei até onde vai a verdade de tudo isso, é certo que o presimento ameaçou processá-lo, mas pode ser que isso acabe em mais do que mera palhaçada, e nem sei se isso seria bom ou ruim. Na Argentina, empurrada pelo ultraliberalismo de Macri a uma de suas piores crises (e eu tenho idade para ter visto toda a turbulência dos noventa), a suprema corte decreta a prisão de Cristina Kirchner, no que fede a mais uma ação de lawfare no continente. De minha parte, só quero manter minha cabeça no lugar, não me desesperar com o estado das coisas e não me apaixonar por mulher casada de novo. E crente desta vez. A moça romena do dia da entrevista, lembram? Claro que não. Ela me remete ao conto do Machado: Uns Braços. Bem, lá vou eu. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCLIV

março 6, 2019

Hoje são seis de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Eu não vi carnaval, mas a Mangueira venceu com um enredo ousado, questionando a história oficial e com bandeiras de Marielle. Dificilmente o carnaval vai levar a uma onda de protestos, mas é um bom instantâneo de que a insensatez que foi normalizada agora virou vidraça. Corre o mundo a trapalhada do presimento com o vídeo de golden shower. Eu só penso naquele estudo que mostrou que homens homofóbicos são os que mais se excitam com pornografia gay. Quero ver se não vão se sentir ameaçados e ameaçar embrutecer ainda mais. Polícia mata folião em São Luís da Paraitinga, e vamos aí somando, cada absurdo sendo esquecido por uma avalanche de novos. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCLIII

março 6, 2019

Hoje são cinco de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Depois de ser achincalhado em todos os carnavais, o Bozo (ou Bozokid) tuíta um vídeo explícito alegando representar a festa como um todo. Tenho certeza que ainda vão descobrir a real origem da filmagem e não tem nada a ver com carnaval. Mais cedo já tinha sido indelicado com Caetano e Daniela Mercury, com a velha história da lei Rouanet da campanha. Espero que esteja se formando um consenso de que esse cara é incapaz e perigoso. Esperança isso não dá muito, pois é um general na linha, e muitos. Acaba mundo.

O pão não mente

março 4, 2019

Diga o costureiro o que for, a verdade é que a galeria não se banha e o pão não mente. Pode ser que a sutileza sobranceira dos vértices acalente a dúbia pesca de signos, mas ainda assim seria possível ao trópico deduzir a contrariedade do plástico. Digo, decerto a súcia suscitou a salada, e que resta ao pátio senão comentar a termodinâmica? Mesmo com as melhores intenções, sempre fica uma sujeirinha entre os dentes, e por mais que poupar vítimas não vá eclodir com estrépito, sempre se pensava que chocolate era sincero e os relâmpagos dissolviam os pêsames. Recentemente o suspiro é elástico, a hipoteca dos contorcionistas solicita uma revisão das premissas e nunca ninguém se lembra onde deixou os óculos. Antes que fossem insetos, daqueles que conquistam títulos e permeiam a pantomina, mas na verdade é uma fermentação espontânea da meia dúzia de fundamentos que estavam aqui agora há pouco, numa sacola de supermercado. Quem deixou isso ir tão longe, afinal?

Acaba Mundo CCLII

março 4, 2019

Hoje são quatro de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. O insaciável falcão Bolton declara com o maior nonchalance que eles não se envergonham em adotar a doutrina Monroe. América para os godemes. Polícia em Atibaia quebra o braço de petista porque sim. Bozo reclama que se gasta demais em educação e a conversa da lava jato da educação volta à baila (e ninguém se surpreenda se prenderem Haddad porque sim). Diplomata é rebaixado ao postar textos de dele, de FH e Ricúpero (personagens de polêmica anterior) sobre a Venezuela; ele é conservador e foi nomeado sob Temer. O próprio oportunista (e nada louco) Araújo garante que lideramos os EUA e na Vuvuzela, e não o contrário. Conselhos e comissões, das poucas instâncias de participação popular, estão sendo desmantelados pelo governo neonazi. Presidente da Vale é afastado; quero saber se a empresa será condenada a recuperar o Rio e assistir familiares de mortos. Pensar que se sabia dos riscos, que a vida importa tão pouco ante o lucro. E por falar nisso o bozonazismo, tal antecipado, vai liberar mineração em terra indígena e fronteira. Acaba mundo.

A diligência dos vetores

março 3, 2019

Antes da diligência dos vetores, quando as dicotomias ainda podiam chafurdar na rispidez da precisão, houve uma intraduzível esquina que desafiou as prateleiras de uma forma que nem a peçonha dos complementos ousaria. Há sempre uma reserva de bagres que representam o tépido arfar dos conterrâneos, e quem sabe a diferença entre a alucinação e o garfo não é somente a insipidez dos celerados? Então ninguém calcifique as suturas demasiado ferozmente, pois a saliva perene do velcro não basta para diluir os códigos. É o reverso do previsível, omelete de argumentos, o pior que um verão passível poderia alfinetar, e no entanto brilha o brócolis, festeja o escuro o urso enquanto é tarde. Até amanhã não se diz nada, nem o lanche dos escondidos precisa complicar a métrica. Eu só preciso daquela fábrica de derrotas que os parêntesis parecem possuir, para que a economia do impossível não choque os ovos da altaneria. Isso seria pródigo.

Acaba Mundo CCLI

março 3, 2019

Hoje são três de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Lava Jato cria uma esquisitíssima fundação privada que já começa com a mixaria de dois bilhões e meio vindos da Petrobras; já dizem que é pra campanha do Moro para presidente, a qual sua esposa, metida no negócio obscuro de palestras e em histórias mal contadas na APAE, acabou adiantando. Vamos ver se a própria nulidade intelectual que é o super herói sarraceno não acaba por minar sua credibilidade até entre os iludidos. Sei que o sujeito não merece comentário, mas o porta voz do Figueiredo me sai com uma postagem que vê contradição entre distribuir camisinha e prevenir o assédio. Sério, essa geração precisa largar o osso; eu sei que as atuais estão bem emboloradas já na juventude, em grande medida, mas sei lá, esses escrotos precisam passar o bastão aos novos escrotos para que a partida prossiga. Por falar em velhos escrotos, vai ficando claro que Olavo pede dinheiro não para sua saúde, mas porque foi pego sonegando impostos na terra de marlboro. Ainda sobre a saída de Lula para o velório de Arthur, ele teve o braço abaixado por um cana ao acenar e respondeu a “o senhor sabe que não devia fazer isso” com “o senhor sabe que eu devia”. Escoltando o preso político estava o mesmo Danilo bozonazista presente na suposta facada e visto provocando Manuela na campanha, com um detalhe: um distintivo da SWAT Miami. Se for fetichismo a PF não poderia autorizar, se foi lá treinado só escancara que a LJ é gringa de cabo a rabo (os procuradores não tiveram problema em admitir receber os inquéritos prontos do DoJ, e Janot apareceu todo pimpão sendo chamado por algum sub deste órgão americano pelo prenome enquanto se celebrava o “sucesso” da “colaboração”). MP e defensoria de Minas mandam calar a PM que queria calar os foliões: viva! Godemes tiraram cinquenta toneladas de ouro da Síria, entregues, alega-se, por “rebeldes” em troca de proteção. São os cafetões da mudança de regime (frustrada, é claro). Acaba mundo.

Acaba Mundo CCL

março 2, 2019

Hoje são dois de março de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Bloco de carnaval em Belo Horizonte é proibido de criticar Bozonazi pela PM, e major manda um cala-boca a todos. Em Salvador e alhures mandam o Messias tomar no cu, e o Carnaval vai retomando suas feições contestatórias. Depois de declarações do Nazi sobre ceder na previdência, irritando ao Chicago Boy, é anunciada uma ordem de silêncio ao presimento: vejam só, nosso supremo mandotário precisa de tutela. É por isso que não se pode deixar perder pela personagem asquerosa de Bozo e Bozokids, e deve-se ter sempre em mente o esquema mais amplo, que é basicamente uma interferência godeme, sabotagem mesmo, mediada pelas forças armadas que deveriam nos proteger da única ameaça ao país, e não abrir as pernas. Executivo da OAS que ficou sem biscoito denuncia agrado milionário da empresa para que colegas combinassem suas “colaborações”, e essas denúncias interessadas são a única “prova” para encarcerar um ex-presidente. Olavo de Carvalho pede dinheiro ao séquito, alegando que o capitalismo ianque que ele defende e sua saúde privada custam muito caro. Governo Bozo solta DOU extra em pleno carnaval só para detonar numa canetada o financiamento sindical. Daqui a pouco estamos como na Fiat da ditadura, com coronel instalado e milicos disfarçados para vigiar os operários. Para minha surpresa, os algozes de Lula concederam a saída para o velório do neto; para surpresa nenhuma, a turma do ódio festejou e debochou da morte, e o dia inteiro foi regurgitado e amplificado o comportamento de gente que não merece audiência. Outro absurdo foi que o Ancelmo do Globo foi avisado da morte, e publicou, minutos depois de acontecido, antes que boa parte dos familiares ficassem sabendo. Pouco que seja, é bom ver o velhinho fora das grades por alguns minutos, que era o que mais temiam ao negar sua saída para velar o Vavá. Tempo atrás um empresário reclamava da má imagem do país lá fora, e admitiu com candor: enquanto Lula estiver preso vai ser assim. Pois que situação ser essa nossa última esperança: que o libertem porque está atrapalhando os negócios. Acaba mundo.