Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Acaba Mundo CCCLXVII

outubro 5, 2019

Hoje são cinco de outubro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Ontem eu vi o King Crimson; ao vivo as três bateras são impressionantes, mas aquele vocalista é meia boca, eu queria o Adrian Belew, sim. Foram presos a esposa do Lessa e seu irmão, que tem foto com Bozo e bozokids, no caso Marielle. Paris confere cidadão honorário a Lula, para desespero do FHC. Moro, na defensiva, diz que não é vilão e que opinião de militante (contrário) não conta. Tem todo esse clima aí de novo despertar, até o Aloysio disse que foi golpe, mas vocês sabem como eu sou cínico. Bozo segue prometendo o mundo aos garimpeiros, que seriam pobres coitados e nem impactariam a natureza. A censura prossegue, um espetáculo cancelado perguntava Por Que Acreditar na Ciência, e o Bozo nega confirmando: valores cristãos. Um procurador esfaqueou uma juíza num fórum na avenida paulista, ele balbuciava sobre acabar com a corrupção. Morte da menina Ágata tem reconstituição fajuta e revela-se que policiais invadiram o hospital atrás da bala. Janot fazia bravata sobre matar o Gilmá, estava em Belo Horizonte na data referida. Palocci volta a abrir a matraca, com conteúdo de boataria. Bannon vai ao senado, sobre meio ambiente; supremacista branco. Deputada estadual do PSol SP Isa Penna sofre processo de cassação por ler um poema em que se ouvia “puta”. Indigenista responsável por tribos isoladas é exonerado da Funai. No Equador o Lenín obedeceu ao FMI e cortou os subsídios do combustível, a população, que já devia ter motivo bastante, se levantou e estado de exceção foi decretado; os manifestantes subiram nas torres e tiraram a tv do ar, que inveja. No Peru, o presidente Vizcarra dissolveu o congresso que queria derrubá-lo; todos os ex presidentes foram grampeados pela Lava Rato. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLXVI

outubro 2, 2019

Hoje são dois de outubro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Por esses dias se desdobrou a história do Janot, o sujeito que para esconder o bafo de cachaça antes de ver a presidente tomou café com sal e vomitou. A foto dele no zap diz keep calm and drink gin. Também entregou a pressão do Tanga pela pressa no processo do Lula. Um sub da PGR pediu cassação de sua aposentadoria e censura ao livro. Será que o Felipe Neto vai comprar e distribuir? O exército tem se recusado a amparar ações contra garimpeiros, e o Bozo a eles se dirige: o que interessa na Amazônia não é o índio, não é a porra da árvore, é o minério. De dissimulado ninguém pode acusá-lo. O STF ratificou o falar por último, com show de Gilmar, que destruiu a Lava Rato citando os vazamentos (falou até em tortura); o Mefistoffolis no entanto quer reconhecer um princípio limitando-o, para negá-lo ao Lula. Gilmar também travou investigação do Bozokid F, e apesar da grita está correto no mérito. O Bozokid E pediu que apressassem sua nomeação na embaixada para que isso salvasse Trump do impixa. Há dias aparece óleo cru nas praias do nordeste, e o que se diz é que não é do tipo produzido aqui. E a Lava Rato prendeu a Lava Rato na Receita, o mesmo Canal (privilegiado) que fazia dossiês de ministros do supremo e extorquia investigados, e parte pra cima dos bancos (nunca teve escopo) em busca de redenção em seu pior momento. PSol aciona ministério da economia por fraude nas contas da deforma da previdência, que vai passando fácil no senado. Mitzel anuncia Disney e é desmentido. Farra de regularização de grilagem por autodeclaração anunciada, e enquanto isso o Salles vai chorar os caraminguá que o Bozo esnobou da Alemanha e é rechaçado. Novo PGR indica para posto de DH um brucutu fascista e tuiteiro, e anuncia reabertura do caso facada. Casos de censura, por parte de estatais como a Caixa, vão se multiplicando, e em Cuiabá um jornalista crítico do Bozo morreu apedrejado. Acaba mundo.

Corromper os rompantes

outubro 1, 2019

Os dados não dormem datados de testes de antanho. Como se o insondável tirasse uma soneca, repelisse o pasmo e predissesse o sádico, mas a parcimônia da máquina não chega a calafetar o fatídico a ponto de prescindir dos prédios. Lá está a tosse tácita dos túrgidos a corromper os rompantes, mas a média da mímica ainda dista do drástico, permeia o método, mesmo que as vespas evitem as aspas. Até o confessor das nuvens concorda com o cântico, a questão não é essa; são os contornos da túnica que angariam os fungos do figo. Como se fosse preciso dilacerar a serpente, tolher as telhas, mas ora, não basta um palito percorrer os prazos. Ainda bem que a bisnaga agrega a galáxia, do contrário a altivez dos frívolos contaminaria os bagres.

Acaba Mundo CCCLXV

setembro 29, 2019

Hoje são vinte e nove de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Passei uns dias sem escrever, e fugindo até de me informar sobre cada detalhe e acompanhar análises e palpites. Não é saudável. O supremo avançou no entendimento do princípio de falar por último, jornalistas engajados na LavaRato começam a posar de neo-sensatos, e Deltan e caterva pedem semiaberto para Lula, que anuncia estratégia de tudo ou nada. Uma das coisas que me afastaram do tuíter foi ver a tchurminha celebrando violência policial quando é sobre o inimigo; mesmo que peçam quartelada têm direito à liberdade de expressão. Devíamos é nos envergonhar que eles vão à praça dos três poderes enquanto nós, prenhes de razão, guerreamos na internet e pouco mais que isso. Muito alarido depois que Janot afirmou que entrou armado no supremo pra matar o Gilmar; até busca e apreensão rolou, e no âmbito do esdrúxulo inquérito de ofício (e sem escopo) do Moraes. Não só os grupos se tribalizam como inventaram agora o PTinder; vai ser um mecanismo de especiação (e um prato cheio para gente mal intencionada). Projeto democrata quer barrar Brasil como extra-Otan, enquanto o Bozo lança um I love you ao chefinho. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLXIV

setembro 25, 2019

Hoje são vinte e quatro de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. O Bozo discursou na ONU, destilou sua noção de “soberania”, defendeu a ditadura, disse que a Amazônia está “intocada”, atacou Raoni e Macron, sem citá-lo, atacou a própria ONU, e o mais importante a meu ver: admitiu ante o mundo que a missão do Sarraceno era derrubar a esquerda. O fascista também esperou uma hora para bajular o chefinho, que lhe deu dezessete (vejam só) segundos. Salles deixou de ir a evento sobre ambiente, mas um sub seu se fez de tiranete e expulsou jornalista. Mais uma criança foi baleada no Rio, e o genocida aproveitou para eliminar o incentivo à queda de letalidade da polícia. Congresso derruba os vetos presidenciais à lei de abuso de autoridade e os lavajatista choram as pitangas; é um bom sinal para quem imagina o legislativo derrubando o Bozo (embora a coisa seja maior que o Bozo, bom lembrar). Banco do Brasil passará por privatização disfarçada em fusão não com Bank of America, mas com o UBS suíço; vou sair dizendo que tenho dinheiro na Suíça. E o Trump está cada vez em piores lençóis: revelou-se que ele segurou verbas de segurança da Ucrânia antes de intimidar o Zelensky: extorsão; e a Pelosi finalmente formalizou o processo de impixa, pena que se a maré não mudar bastante o senado republicano barra. Seu governo se recusou a ajudar um jornalista do NYT no Egito, que precisou ser amparado pela sua Irlanda natal. E o Boris na Inglaterra tomou uma chapoletada da corte suprema: suspensão do parlamento foi ilegal; já se espera a queda do breve governo. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLXIII

setembro 24, 2019

Hoje são vinte e quatro de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Após a morte de Ágatha, caso levado à ONU, um cana-do-MBL-assessor-de-parlamentar-do-PSL-e-youtuber foi ao enterro tirar proveito e agrediu um rapaz do Alemão. O governador genocida joga a morte para os traficantes e a culpa para os usuários, ataca Brizola, que quis barrar o esculacho quando governador, e chora como um crocodilo na entrevista. Weintrolha anuncia que professores universitários (eu) serão celetistas. Boa notícia veio da UFF, onde censura do reitor a ato anti-sarraceno foi derrubada pelo judiciário; quer dizer, notícia boa mesmo seria que não há tentativas de censura. Defesa de Lula recusa progressão de pena e parte para a anulação; ele não tinha falado por falar, mas eu não confiaria muito na redenção do supremo. Fala brasileira na cúpula do climão em NY será substituída por vídeo sobre o trabalho do MST com sementes crioulas; chorem reaças. Bozo foi recebido com protestos e representações brasileiras na Europa foram pixadas. O embaixador dos hambúrgueres se encontra mais uma vez com o supremacista Bannon. E o Trump protesta por não receber o nobel da paz. O destaque do dia fica para Greta Thunberg, que passou um belo carão no establishment de discursos vazios e sua crença em “histórias de fadas de crescimento econômico eterno”. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLXII

setembro 23, 2019

Hoje são vinte e dois de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Não quero comentar nada de política, nem há nada relevante para comentar. Pra falar a verdade, estou querendo fazer valer minha promessa de não viver mergulhado na internet acompanhando notícias que me fazem mal e ainda perdendo tempo lendo um tanto de bobagem que a tchurminha publica. Meu ritmo de leitura está péssimo, meu projeto de doutorado não saiu do lugar e eu tomei uma comida da orientadora que me deixou ainda mais tenso estes dias. Mas não há de ser nada, já estou reformando meus hábitos, escanteei um pouco a birita e comecei a correr, acordei do torpor e vou agora mesmo à biblioteca fazer a coisa andar. Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLXI

setembro 22, 2019

Hoje são vinte e um de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Grande comoção nacional das pessoas humanas, e escárnio de fascistas desumanizados, ante o assassinato no Alemão da menina Agatha Félix, de oito anos, por um fuzil da PM, que “suspeitou de uma moto” e atingiu a kombi onde ela ia; não houve confronto como quiseram espalhar. É a quinta criança morta nessa guerra perdida este ano. O avô fez questão de frisar que ela fazia inglês e balé e não morava na rua, reafirmar que a mocinha “contava”. Bozo aproveitou para elogiar o exército, Moro à PM carioca, cujo comandante sentenciou: não vamos retroceder. Que fosse o início de uma grande reação, mas não vai ser. Nossa sociedade aprova a violência racista da polícia, a televisão reforça a ideia de que o fodido é a ameaça, e isso vai se perpetuando desde o império, quando o haitianismo, o medo da revolta negra, ensejou a criação de uma polícia militar; o tráfico é só um capítulo. E vem um tanto de comentarista pedir maior “eficiência” na guerra às drogas em vez de questioná-la. Bem. O MEC quer um “criança esperança” para angariar doações para pesquisa, e a rede francesa Accor oferecendo moradia estudantil. Grávidas não terão direito a recusar procedimentos médicos, para que se “defenda o feto”; é uma ditadura fundamentalista e misógina. Revelada delação recusada de Leo Pinheiro: implicava o PSDB, em especial o operador Aloysio, embaixador do golpe; por que melindrá-los, né? Ou atrapalhar a deposição em curso à época? Consta que os bozokids F e C estão em guerra, um pedido moderação e o outro, com sua turma de aloprados alcunhados “gabinete do ódio”, pedindo ódio. Na verdade, todo o partido (de aluguel) está se esfacelando, saiu o Frota, saiu a Moro de Saias e o major Olímpio vai na esteira, dizem mesmo que o próprio Bozo quer pular fora; a reclamação é que Bozo foi escroto e não sabe liderar (que surpresa!). Para fazer publicidade internacional e tentar salvar sua imagem, um tiro n’água, o governo encontra quarenta milhões, em meio a, e por conta de, cortes de direitos. E além da índia a favor, a delegação brasileira levará assessores do Guaidó, para “representar” o país vizinho; já Macron levará comitiva da Guiana pra capitalizar mais um pouquinho. Vaticano responde a mentiras do Bozo sobre “más intenções” da Santa Sé na Amazônia; taí o maior país católico do mundo. No Egito, a população se ergue contra o “ditador favorito” do Trump, Sisi, implantado após a “primavera” que a mídia anglo segue chamando de revolução, quando não passou de agitação dos godemes, tal tivemos na Ucrânia, ou aqui. E a população de pássaros na América do Norte caiu vinte e nove por cento desde setenta: nós somos o meteoro. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLX

setembro 21, 2019

Hoje são vinte de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Intercept publica o Plano Barão de Rio Branco, que desmente qualquer boa intenção que o governo diga ter na Amazônia, prevendo infra (incluindo hidrelétrica de Trombetas para bauxita e ponte sobre o Amazonas) para bombar a exploração da floresta, e repetindo a falácia do “deserto” demográfico, ou a mentira da secessão indígena orquestradas por ONGs e “governos hostis”; até o ISA chama de paranoia o pretexto daqueles que sabem direitinho o que é ou deixa de ser. Petroleiros apontam que a segunda lei José Chevron Serra do petróleo, prometida há muito conforme os Snowden Files, e que termina de minar as prerrogativas da Petrobras e com isso o fundo que reverteria para educação e saúde, trará prejuízo de onze trilhões. É uma maldição do petróleo sobre o país, e é uma maldição do petróleo sobre o mundo, que vê hoje uma imensa greve mundial pelo clima (ao menos na Europa e nos EUA), liderada pela brava secundarista sueca Greta Thunberg, enquanto o imperialismo está cada vez mais desesperado para garantir o acesso a combustível fóssil. No Rio, o Robison, um morador “de praia” como diz ele mesmo, esculpiu Lula Livre na areia de Copacabana e agora é ameaçado por prefeitura, polícia e milícia; todo mundo que acha que Lula Livre não importa está com eles. Também no Rio policiais comentam sobre homem saindo da favela de moto portando uma estante de microfone: depois morre e a culpa é do policial; enquanto isso o governo planeja aumento gordo para canas e milicos (há pouco diziam que não tinham nem pro rancho mais, vai entender). Em SP, mais uma tortura privada contra furto famélico: rapaz negro recebeu choques da “segurança” do supermercado após furtar carne; e a sociedade vai tolerando, por mais que a “esquerda” (que é só quem acredita em direitos hoje, pelo visto) se escandalize na internet. Na Amazônia, é prorrogada a GLO contra as chamas desordeiras; eu mesmo não vi nenhuma reportagem sobre o que essas tropas têm de fato feito, quando as forças policiais estavam boicotando o Ibama e os promotores do dia do fogo são conhecidos e nunca molestados (MP anunciou inquérito, mas mais não se ouviu). Ao menos um episódio de milicos controlando acesso a aldeias já foi relatado, e eu imagino que o objetivo é mesmo cercear qualquer entrave ao plano mencionado. Este país não aprende e presta mais atenção à bobagem do que ao relevante; funcionários e assessores do PT no congresso venceram a megasena com um bolão, e lá vai acusação de fraude estapafúrdia vindo até do sinistro Weintrolha, e processo em cima dele, e debates acalorados; a divisão do prêmio dá um apartamento no setor sudoeste pra cada, mas tem gente dizendo que “a riqueza mudou de mãos”. Bozo será constrangido a assinar o diploma e pagar metade do prêmio Camões concedido a Chico Buarque, esse comunista temível, e eu farejo outro incidente diplomático. Por falar nisso, aproxima-se a fala dele na ONU, e ele tratou de arranjar, ou contratar, uma índia que seria do Xingu mas mora em Embu das Artes, pronta a dizer que queimadas são apenas tribos fazendo seu roçado. Será que o Macron vai levar o Raoni e continuar a briga para fugir da própria insignificância global e da rejeição interna, levantando a bola do “status internacional”? E o Trump está cada vez mais na berlinda: o alerta whistleblower era a respeito de sua pressão sobre o presidente ucraniano para achar sujeira do filho do Biden, que tem negócios com gás por lá, visando as eleições; o Mehdi Hassan mandou na lata: basta que os democratas NÃO lancem Biden. Não por isso seu governo está acuado, e manda (mais) tropas pra Arábia Saudita; iniciar uma guerra é truque velho pra garantir a reeleição. Trump também exige que seus prisioneiros de nacionalidade europeia do “estado islâmico” (uma tremenda história mal contada em si) sejam aceitos por seus países ou então ele vai despejá-los em suas fronteiras; justificativa: custariam dinheiro em Guantánamo. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCLIX

setembro 20, 2019

Hoje são dezenove de setembro de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. No Brasil, a cada eleição há que se votar a lei eleitoral, desta vez eles querem passar um oba oba que combate mais a fiscalização que a corrupção; houve um pequeno recuo, mas o saldo só pode ser negativo. Por falar em fraude eleitoral, Bozo perdeu de sete a zero em reclamação contra a Folha, por fazer jornalismo e denunciar seu esquema, para o qual o mesmo tribunal fechou os olhos “para não atrapalhar”. E a Lava Rato, que nunca teve nem escopo nem prazo, nem escrúpulos, passará, segundo Aras, por um “rebranding”, mais um pouco ele anuncia um concurso para escolher o novo nome. E se o Sarraceno saiu da Lava Rato, a Lava Rato não saiu do Sarraceno, o microministro mandou a PF no congresso enquadrar o líder do governo no senado, Fernando Coelho, cujas acusações de corrupção são antigas e certamente não justificam a pirotecnia. O motivo? Críticas. Agora são dois bozokids na CPI da mamadeira de piroca, eu imagino eles interrogando a si mesmos como num filme do Woody Allen. São Paulo, já chamada capital do hemisfério sul, cai dezesseis posições dentre os centros financeiros. Dois conselheiros do CNMP perdem a recondução, mas é bom não se entusiasmar com a transformação do órgão corporativista. O governo godeme denuncia os drones houthis, que não mataram ninguém, enquanto os seus matam trinta e ferem mais quarenta camponeses no Afeganistão. Eles também não admitem que as universidades tenham programas sobre o oriente médio que não sejam de demonização islamofóbica, e ameaçam cortar a verba. Os campos de concentração estão de pé, e o mundo tolera. Acaba mundo.