Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Acaba Mundo CXIII

outubro 20, 2018

Raquel_Homem_ok-800x445

Hoje são vinte de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Falava outro dia do perigo que corre a linguagem, já que estamos perdendo todo terreno comum de premissas tácitas. Eu observo hoje que, ao contrário de uns oito anos atrás, quando eu usava o tuíter pela primeira vez, ninguém pesca referência nenhuma, ou quase nenhuma, seja de literatura, mitologia, Monty Python, dessas coisas que gente esnobe faz questão de fazer piada a respeito. Cada um tem suas referências, compartilhadas com milhares de pessoas que nunca viram na frente. Cada dia surge uma bobagem nova da “lifestyle industry” e um monte de trouxa vai aderindo em busca de sua personalidade e vamos vivendo cada vez mais vazios. Ouço agora grita a respeito de Steve Bannon, após a matéria da folha sobre a campanha de guerra informacional. Volto à coluna de quatorze de agosto, quando comentei a visita dele. Quanto à coincidência com a visita do chefe do Pentágono, que eu assinalo, nunca vi jornalista, blogueiro ou influenciador levantar essa lebre. E é algo relevante se ele veio na missão oficial, né? Eu acho. De resto, tudo que escrevi, nesse dia e na véspera, se revelou profético. Quanto ao que estão chamando de “caixa dois do Bolsonaro”, como se a tática suja nem importasse, apenas o financiamento, só digo uma coisa, para não gastar meus dedos comentando sobre nossas instituições, que estão prevaricando normalmente: pobre da Raquel Dodge, que se vê constrangida a denunciar uma fraude planejada por seu marido. Bradley Dodge comanda a (nem tão obscura, para quem se informa) Escola das Nações. E a Dilma, que sancionou a Lei Antiterrorismo acreditando que um artigo preservava manifestações cívicas e movimentos sociais? Agora basta riscar o artigo, e um despacho aqui, um projeto ali, um pedido de urgência ali e voilà: todo esquerdista é terrorista. Eu vou-me embora. Prefiro ver o que vai virar de longe, e não acho nem um pouco covardia, porque quem bancar herói vai ser vilificado em duas gerações para justificar um novo golpe. Vou esperar o evento shakespeareano pra pegar umas dicas de docentes no Canadá, na África do Sul, em Portugal ou onde for. Estou partindo para o ato Haddad/#EleNão, amanhã comento. A menos que o mundo acabe.

Acaba Mundo CXII

outubro 19, 2018

bye-bye-logo

Hoje são dezenove de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Bastante desanimado, mal quero comentar nada. General fala em interferir em universidades e descer a borracha em quem chiar, numa boa. E eu buscando doutorado pra virar professor. Haveria uma coletiva do TSE, com a simpática presença do general Etchegoyen, hoje, já adiada para domingo. Se ao menos fosse anunciado oficialmente que somos idiotas de acreditar em eleição em plena ditadura, seria um avanço. Foda-se. Tô me sentindo mal e chorando por tudo isso, e não há nada a ser feito. Não estou nem com energias de frequentar o tuíter para ver gente celebrando pesquisa a esta altura. É tudo baldado. Amanhã há um ato, mas isso é só pra constar. Ainda é bem possível que role truculência policial. Preciso me decidir pelo auto-exílio antes que algum episódio com a polícia ou com milícias bolsonaristas me force a decidir. Acaba mundo.

Acaba Mundo CXI

outubro 18, 2018

nazap

Hoje são dezoito de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Dia desses houve movimentação militar pesada em Corrientes, Argentina. Isso deveria nos preocupar bastante, já que a Tríplice Fronteira é um barril de pólvora e uma invasão do Brasil por tropas americanas via Argentina não é um cenário tão fantasioso assim. Hoje só se fala na reportagem da Folha que escancara a rede de mentiras de Bostossauro no WhatsApp. Há euforia mesmo, como se fosse o renascimento da esquerda. A revelação envolve doação ilegal de empresários locais, ou seja, é só a pontinha do iceberg. Mas é, ou seria, material suficiente para cassar a chapa. Até em anulação de tudo se fala; ora, se isso acontecesse o mando militar vinha na manhã seguinte. Mas decerto fenômenos como Zema em Minas ou Witzel no Rio, que dispararam, ou Suplicy e Dilma, que despencaram, podeiam ser atribuíveis à tática. Eu disse que a eleição não acabava. O certo, por lei, seria impugnar a candidatura e realizar a segunda volta com Haddad e Ciro, mas está fora da realidade quem imagina isso acontecendo. A farsa foi encomendada em DC, e a caravana precisa passar. Posso, e quero até, estar errado em meu cinismo, que mesmo os setores conservadores, mesmo DC, aproveitem para mudar de ideia, talvez. Mas e os idólatras? Resta saber. Ou melhor, resta aguardar. Acaba essa patuscada logo.

Acaba Mundo CX

outubro 17, 2018

evolution

Hoje são dezessete de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Eu tinha pensado em fazer uma resenha dum disco, para descansar um pouco. No deu, pensei nessa imagem acima. A impressão é mesmo que o homo sapiens está regredindo. Mike Godwin, criador da lei de Godwin (a probabilidade de apelo a Hitler ou ao nazismo numa discussão de internet tende a um com o tempo) se posicionou contra o Bolsonazi e ainda se envolveu, num bom português, em discussões com a turba que tentava ensinar seu conceito a si mesmo. Entra na lista do “braziliansplaining” com Roger Waters, Papa, Embaixada da Alemanha e sabe-se lá, que importa quem mais? Pessoas reclamam do medo, do desânimo. O mundo inteiro se posiciona, e a maior parte dos brasileiros está num universo paralelo em que a perversidade do nazista é brincadeirinha, e a eles nada afeta. É o burguês assustado do Brecht, mesmo se pobre. Pois quem vai dizer que a coisa não é clara? Quantos vão se dizer surpresos quando fechar o tempo de vez? As instituições estão tomadas, e Fux faz apenas mais um discurso mentiroso sobre combater a guerra de informação. Temer, um peso morto, está sendo finalmente frito, e ninguém se importa. Anunciada nova cirurgia em Bostossauro. Teria sido incompetente a equipe do Einstein? Circula na internet a teoria de que ele teria câncer, a facada sendo parte de uma trama para encobrir uma cirurgia prevista. O médico que o acompanha é oncologista. Tomara que morra logo, entraria o Ciro. Ou não entraria? Eu comentei na última noite sobre os ministros das cortes superiores que seriam perseguidos pela cobra que chocam, e na manhã seguinte um general, deputado eleito, dá declaração nesse mesmo sentido. Rosa Weber já foi ameaçada. Todo o roteiro do fascismo está sendo seguido, o que nos leva a crer que pessoas que estão achando um barato agora ainda vão se foder lá na frente. E eu não poderei sequer rir. Acaba ser humano. Ou pelo menos o brasileiro.

Não há ostras na Áustria

outubro 16, 2018

ostra

Que importa o volume do vime se não há ostras na Áustria? Agora é apascentar a brita e convocar os bêbados para o marasmo. Todos vão dizer que não sabiam, que o salmão incide no mecanismo desde o ano que vem. Passo e passo, traço e traço, salgando as circunstâncias procede o marreco cálido. Entupiu até a falha, imiscuiu-se no sândalo, e pra que? Só espero que haja uma esquina na próxima esquina, que o bilioso supere o subterrâneo, e por aí vai. Encomendado há muito tempo, subscrito e adstringente, necessário. A geleia de osso não foi declarada à receita, e as cláusulas eram uma delícia com vinagrete. Depois do penhor de qualquer alegria, tudo em que se pode crer é no chapéu do porteiro. Quem vai acordar os dormentes, inocular o imbróglio, ou ao menos monitorar os relâmpagos? Não se duvide do olfato dos fatos, entretanto. Ou da volatilidade luminosa dos rolamentos do cometa. Há poucos minutos a tinta dizia anagramas, não é agora que o gelo está se coçando que o destino vai jantar fora. Qualquer coisa, me chama.

Acaba Mundo CIX

outubro 16, 2018

bouloshaddad

Hoje são dezesseis de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Mais uma vez sentindo a opressão que vem de longe, só está mais frequente e mais opressiva. Em Campinas, jovens foram presos fazendo campanha e ouviram ainda que “a ditadura militar voltou”. Mais uma trans morta, a facadas, em ataque bolsonarista no centro de São Paulo. Performance gay de artista argentino cancelada: “não temos como garantir sua integridade física”. Ex-líder da Ku Kux Klan, David Duke elogia Bolsonaro, que desconversa. Seu candidato em Minas, no entanto, quer segregar os alunos. Bolso escreveu a neonazis no passado, e a tal bandeira do “Quequistão”, país imaginário dos supremacistas brancos, figura em seus atos. Como se não bastassem discursos e atitudes seus e de seus seguidores para provar que se trata de um nazista. E um tanto de negro está com ele, inclusive o que matou Mestre Moa, outro negro, na Bahia. Grande grita por declarações de Cid Gomes contra o PT, mal quero comentar. Fora Boulos e o PSol em seu nanismo, que foram claros desde o início, isso aí que chamam de esquerda, incluindo até mesmo o PT, que bancou a poliana por tempo demais, faz um papel ridículo. Mas nem mesmo o melhor desempenho, a máxima união, resolveria contra a máquina de guerra híbrida. É uma campanha de mentiras como foi a do Trump; e colou, mesmo a gente tendo tempo para se preparar. É uma impotência desesperadora. Acaba.

Acaba Mundo CVIII

outubro 15, 2018

maxresdefault

Hoje são quinze de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Tem esse caso do jornalista saudita que entrou na representação de seu país na Turquia e não saiu. É de pensar se, sei lá, eu ficar visado, além de sair do país eu não possa pisar na embaixada; é um prospecto real. Só por mencionar “idealismo socialista” ali em cima, mesmo que quase ironicamente (eu me declaro oficialmente um anarquista), posso atrair a atenção da ultradireita espumante. Aliás eu me pergunto, se sou parado por um grupo de bolsonaristas e me declaro anarquista, qual será a reação? Fazem ideia o que é? Certamente não. Será que batem, só na dúvida? Pois é, estamos reduzidos a isso, e cada piada já parece mais imprópria. Eu progredi com minha tradução hoje, e recebi a nota da Unesp, que foi boa, então vou me agarrar a isso. Porque não está fácil. Bolsonaro diz que quer regredir cinquenta anos. Acaba mundo!

A maior parte das centrífugas

outubro 14, 2018

tijolo

A maior parte das centrífugas fornecia audácia ao polo, até que o eixo roesse a rota. Acaso o Cáucaso causou caspas no duende de jardim? Está entremeado no ciclo, perpassa o pastiche, e só resta a comunidade da lástima. Nós e nossos castiçais de estimação, todo recheio de prisma, encaminhados à estação oblívio. Um colibri cibernético destoava do látego latente, pensou-se até que as novas tripas tergiversassem. Seria por o jarro na frente dos dois, ou então amarrar os cadarços da presunção mal passada. Nada disso e muito menos pode acontecer na vida de um chafariz. A feirante frustra o Zaratustra, anuncia queixas frescas, e logo ali o fiscal fosforescente canoniza a bufoneria. O que se pode aprender com samambaias expostas ao idílio de antanho? Pelo menos trouxeram os instrumentos da aurora? Dizer que o dízimo geotérmico vacila é cumprir com os gonzos. É tal o termo da truta. É proibido estacionar.

Acaba Mundo CVII

outubro 14, 2018

aliança

Hoje são quatorze de outubro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Hoje vou ao casamento de uma amiga, uma das poucas ou poucos conhecidos na internet que viraram amizades reais. E olha que morávamos a mil quilômetros de distância. A Carol costumava ler a Leosfera no passado, e mantinha o belo Mire el lado bueno. Ela trabalha com assistência social, o que me faz sentir um parasita da sociedade me ocupando de literaturas. Acho bonito que haja gente apostando numa vida conjunta, eu já acho qualquer situação que envolva outras pessoas um risco potencial de aborrecimento. Eu prefiro só ir na boa, conversar com pessoas selecionadas, for export, e namoro se tiver que acontecer que seja bem espontâneo, porque eu não vou ficar me apaixonando e fazendo as mais indizíveis asneiras pra passar de bobo, ou pior, psicopata. Não, sério. Sabe o que é mandar versos e flores e ouvir que vão evitar sua presença? Como se a tivesse perseguido com um machado. Pois felicidade à Carol e ao Ciro, e a todos que não comem o mingau do cinismo todas as manhãs. Mas não ia mal conhecer alguém legal na festa.

Ceder à Cedilha

outubro 13, 2018

CCedilla_L

Como gravitar em torno do forno quando basta ao rasta ceder à cedilha? Como das outras vezes, só não ponha cominho demais: ninguém liga em abrir mão da cabeça. Não bastasse o desmonte do horizonte, a poluição dos mecanismos, também o frívolo afanava carniças sérias. Como se lançassem o chiclete sabor bom senso, como se desmanchassem o sonho pra fazer sentido, o oceano garantia que osso grassasse, ele e seu fundo, que investia na insanidade de supinos insípidos. Barril ou bolha, verdade é olho, nem precisa apagar a luz. Vive-se, livre-se, ipis litteris, alguém vai fazer alguma coisa, não vai? Os camelos não absorvem a picardia do pérfido? Os traços não trazem espectros de outra jaez? Prefiro o maleável, coberto de paradoxos, como aquele que foi visto nu na praça, tudo que não derrete com o barulho. Mas é bom  ter um amuleto, separar o lixo, abraçar o carteiro e o guarda. Pode-se precisar da colomy um dia.