Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Acaba Mundo CCCI

julho 17, 2019

Hoje são dezessete de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Future-se é o nome do programa que visa a garantir um futuro distópico (se já não o é o presente). Basicamente eles vão transformar os institutos de humanas em supermercados e lanchonetes fast food, ao incentivar cessões de patrimônio e parcerias “desinteressadas” com capital privado para que os departamentos “viáveis” sobrevivam e “compitam” por “mérito”, num sistema que atrelado à formação da associação de docentes fascistas dá pra imaginar como acaba. Ah, sim, poderão ser “vendidos” nomes de estruturas; será que é caro? Vou mandar nomear uma Fora Bozo. As universidades recentes e periféricas, maior feito do PT, sofrerão mais ainda. Na UFMT a luz foi cortada (e Weintrolha ainda quer punir a reitoria), e na Unila edital direcionado ao público trans foi cancelado por intervenção imperial. A educação básica além de minada será facultativa, para que fanáticos possam ensinar anti-ciência. Talvez eu devesse usar um subjuntivo, porque é preciso resistir antes de aceitar o fato consumado. Raquel “Bradley” Dodge passa o proverbial pano para a Lava Rato, mas se trai: termina a nota falando da validade das decisões, admitindo que é exatamente disso que se trata, de nulidade processual. De repente alguém na internet aponta, mas até agora sem maior confirmação, que a decisão do Toeffee no caso Bozokid é de efeito geral e susta todas investigações em que o Coaf aja sem chancela do judiciário, e portanto poria um freio à perseguição, nunca negada, de Glenn pelo Sarraceno. Vejamos. O que é sério é a justiça em movimento, tudo é reinterpretado a toda hora. Governo quer dinamitar conselhos como os de advocacia e psicologia, e por algum motivo isso é iniciativa da pasta de Economia. Libera-se FGTS para injetar liquidez, e esvazia-se o financiamento público da retomada, que talvez nem se queira mesmo. Bozonazi faz bravata sobre o esfaqueador, mas não recorre da sentença; um assessor contou que o visitou no hospital e ele celebrava: “a eleição está ganha, não precisa fazer mais nada”. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCC

julho 16, 2019

Hoje são dezesseis de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Raquel Dodge, casada com um agente americano, convoca Tanga Frouxa e seus capangas para combinar suas estratégias. Como eu já previa, a corregedoria vai investigar as palestras; vão usar o moralismo para fulanizar o assunto e acobertar os ataques ao estado de direito. Toeffee “cobra” Moro sobre perseguição a Glenn, e o mesmo Toeffee manda interromper as investigações que já haviam sido interrompidas sobre Bozokid F e Queiroz. Isso pra mim são minudências, como o comercial da Lava Rato de trinta e oito mil, ou os ingressos do Beach Park, ora que me importa isso. Circula vídeo de sujeito da Odebrecht declarando ter sido coagido no testemunho, isso é relevante. Anunciado o trem da alegria em troca de votos, e uma bombada bilionária no financiamento público de campanha (que costumava ser a panaceia da esquerda). Justiça do Rio nega envio à PGR de provas do caso Marielle, que enfim falam em federalizar. O SUS interrompe a produção de dezenove medicamentos, e as direções de parques naturais são entregues a ruralistas. A ultraliberal antipetista Miriam Leitão, ex-guerrilheira e torturada, não curte o Bozo; ela foi excluída de evento no SC após ataques da SS. Esse tipo de processo costuma escalar. Porto Rico se revolta contra o governo; agora quando há protestos a gente já se pergunta se são espontâneos ou fabricados. Nos EUA, acalorada reação ao racismo de Trump, que aludiu a um grupo de deputadas democratas mandando-as voltarem “para seus países”; apenas Ilhan Omar nasceu na Somália, Alexandria Ocaso-Cortez, Rashida Tlaib e Ayanna Pressley, todas promissoras guerreiras que dão novo alento à política, são americanas natas. França debate futuro de Notre Dame, e há quem defenda um concurso para fazer uma reconstrução futurista. Coloca logo telha de amianto. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCXCIX

julho 15, 2019

Hoje são quinze de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. A ideia é destruir tudo, da creche à universidade, e o MEC faz gracinha com astrologia para desviar a atenção. Outro capítulo que vem por aí é a reforma tributária, que promete tornar o sistema ainda mais regressivo, nivelando alíquotas de bens essenciais e supérfluos, e baixando a alíquota máxima de IR para vinte e cinco. Malafaia sofreu coercitiva e reclama de não ter sido chamado a depor, mas como é o Malafaia aí a turminha acha um barato. Ele dizia algo sobre receber um depósito de um traficante, lembremos da apreensão de brizola com crentes (eu aposto que eram crentes). A PFDC da brava Deborah Duprat, cujo motorista é um dos mais assíduos leitores da coluna, o Rafael Santos, soltou uma nota arrasadora em defesa do estado de direito e da liberdade de imprensa; o jogo está sendo jogado (a opinião pública não ia mesmo mudar por mágica e é besteira minha lamentar isso, como tenho feito). Também o MPF, no RS, peitou decreto do Bozo extinguindo cargos nas universidades, em desprezo à própria invocada, uma vez que não estão vagos. Anuncia-se que o Banco do Brasil também vai vender subsidiárias, BB Tecnologia já está na mira. Cessem as teorias de que Eduardo Cunha não está preso; ele acaba de virar notícia sendo rejeitado como juiz de futebol do torneio de Bangu. Pará também já está tomado por milícias, que disputam o tráfico com o Comando Vermelho. É preciso por um fim ao proibicionismo, mas não parece muito perto. Meus medos vão se confirmando, e sai mais uma leva de revelações de cunho moralista na VazaRato, através do Azevedo. Daqui a pouco punem o Tanga Frouxa pelas palestras para satisfazer a indignação, Sarraceno fica lá pelas gringas e Lula segue em Curitiba. Aliás, o palpite de que o afastamento de Moro era para que a PF agisse, mas não sob seu comando, parece que vai se confirmar: dizem que vão prender “o hacker” esta semana. É como a piada do torneio entre SWAT, Scotland Yard e PM para recuperar o coelhinho, e a PM vence porque extrai a confissão de ser um coelhinho de qualquer pobre coitado. Deve ter um ator se preparando para o papel. Prender o jornalista eles não vão, pois é cidadão americano e porque isso não impediria as revelações. Acaba mundo.

Reflexo dos fluxos

julho 14, 2019

Eu poderia descrever o triunfo das turbinas como um sentimento plástico sem piscina certa. Como se fosse a gentrificação do dentrifício ou a folia das falácias que entretecem o reflexo dos fluxos. Como se o sulfato saísse de férias enquanto o alforge foge dos jogos, denunciando a sede das castas que o lixeiro já supria. E assim é. O essencial dos cítricos não é a mesma coisa que o vernáculo da varanda, e quando só se fala na rispidez do gramado surge o Sérgio reclamando da tristeza dos telescópios, só ele mesmo. Porque o pires já se imbuiu de bifes fáceis, e a rigidez dos gonzos nem precisava procrastinar as selas para que qualquer desertor dissesse a mesma coisa. E o pároco já enviou missiva à massa, a ponto de os cogumelos congestionarem o cônjuge. Mas também o oposto do pesto, é claro, a delícia dos druidas, e tudo isso.

Acaba Mundo CCXCVIII

julho 14, 2019

Hoje são quatorze de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Saiu uma matéria da VazaRato enfocando vantagens pessoais de Tanga Frouxa e tchurma. Na minha visão é um caminho meio equivocado num caso que é eminentemente geopolítico, mas como brasileiro é ridiculamente moralista, certamente causará o maior impacto de todas. Se um fazendeiro contrata um pistoleiro para assassinar um líder comunitário, o importante é atribuir o assassinato ao fazendeiro, não cobrar moralmente o pistoleiro por ter recebido dinheiro. Fico com a impressão que o financiador do Intercept, Pierre Omidyar, não quer implicar o governo americano na conversa, e o Pepe Escobar suspeita mesmo que os EUA estejam dominando os dois lados da conversa no Brasil: full spectrum dominance; somos gladiadores brigando para diversão dos patrícios romanos. Barrosão, à testa do TSE neofascista, entra na onda da canetada mágica e anuncia voto distrital misto para vereador, num país que nem sabe o que é voto em lista e onde o zoneamento vai beneficiar milicianos e pececês. Bozokid perdeu o pirulito de embaixador: balão de ensaio, cortina de fumaça, ignorância ou tudo junto? Bozo tuitou um vídeo profissionalmente editado mostrando o PT fazendo aquilo que tanto cobram, uma autocrítica; alegava ele que era um vazamento (como se fosse comprometedor). Era cena de um documentário e a diretora vai acioná-lo por pirataria. O teor da fala de Gilberto Carvalho poderia ser parafraseado como “devíamos ter escutado o PSol”. Depois de negar escolta a Talíria Petrone, Mitzel faz o mesmo com David Miranda. A França celebra a Bastilha com uma patética demonstração militar, tanto indício dos tempos bélicos quanto nostalgia da relevância geopolítica, enquanto os coletes amarelos vaiavam. Engraçado que parecemos viver exatamente o fim do ciclo que começou com as revoluções burguesas, e o que vem ainda é obscuro (mas não parece bom). Eu tinha dito que não ia ficar comentando apreensão de brizola, mas não tem jeito. Tinha toda razão o Helenão, tem muita droga no mundo, falta concluir que a legislação é uma farsa (ou um erro interessado). Depois do navio do JP Morgan com vinte toneladas, foram dezoito num submarino, ambos na gringa, e agora meia tonelada aqui no Paraná, num ônibus de “religiosos” (a própria omissão da denominação é suspeita, será a conexão pentecostal-miliciana?). Lembrando que o Brasil quase não consome cocaína, somos sobretudo rota, e essa rota é dominada por gente muito poderosa, parte deles inclusive manda a polícia na favela “combater o tráfico”. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCXCVII

julho 13, 2019

Hoje são treze de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. O que foi aqui antecipado se confirmou, o governo lançará o projeto, em bom doublespeak, de autonomia financeira das universidades. É a desdemocratização racista do ensino superior. Vai ter briga. Já há uma SS acadêmica sendo gestada, e temo mesmo que a autonomia não se estenderá à de cátedra. Em Paraty, a SS local (uns trinta gatos pingados) usou um barco para tentar melar evento da Flip com Glenn, diz-se mesmo que usaram rojões como arma. Elegantérrimos, Carmem Lúcifer e Thompson Flores debatem “segurança no julgamento do Lula”, ou seja, selam a segunda e a terceira e a quarta condenações que forem necessárias para manter encarcerado o preso político. A hanseníase volta ao país, e se bobear eles passam uma lei para que volte a se chamar lepra. A Turquia quer ser da Otan e comprar caças americanos de um lado, e do outro comprar baterias antiaéreas russas, que já começaram a chegar; Erdogan sabe que a Turquia é um pivô na disputa entre godemes e Eurásia, e vai barganhar como barganhou Vargas na segunda guerra. No Irã os EUA parece que se assustaram com a tecnologia bélica russa; Pepe Escobar conta como na verdade houve uma ação de provocação preparada para que o Irã abatesse um avião tripulado, sendo que o drone estaria filmando, e o Irã abateu apenas o drone. Também o business teme uma guerra e o fechamento do Estreito de Ormuz, o que dispararia ondas de choque econômicas e financeiras. Espero que Trump e Bolton não fiquem frustrados e voltem à carga na Venezuela. Na França, uma notícia fantástica, depois da classe média de coletes amarelos, foi a vez dos coletes negros, trabalhadores ilegais de origem africana, invadirem o Panteão exigindo cidadania; obviamente a repressão veio, mas eles prometem prosseguir. Acaba mundo.

Arrego ao arroio

julho 13, 2019

Quando a quota adquire um quilo de lombrigas e os sucedâneos se sucedem, convém patinar nos vértices e pedir arrego ao arroio. Já dizia a distância que a convergência lambe a bílis, ainda mais agora que a broa pisca dando azo ao zênite. Como se o sábio soubesse a sátiros, e a presilha prescindisse de promessas. Não é tão fácil. A taverna não tergiversa sobre a bromélia em vão se você interpretar o isqueiro conforme a fúcsia. Talvez outrora os trilhos triturassem a tessitura da tertúlia, mas o vinagre não é moço de recados dos gritos regurgitados de vales vis, e acaba que nem a samambaia pode solicitar façanhas sem a chancela do pasto. O cônsul conclama à cloaca e as salamandras solertes salientam as salvaguardas, então é melhor não contestar os tamboretes e tratar de amarrar os méritos. O preço do pátio é a solvência dos céticos.

Acaba Mundo CCXCVI

julho 12, 2019

Hoje são doze de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. A VazaRato “subiu”, como eles mesmos dizem, para a segunda instância, e pegou Gebran tendo “encontros fortuitos” com Tanga Frouxa, o qual se mostra preocupado após o desembargador neofascista declarar que determinada acusação era fraca, pedindo para apressar a caguetagem premiada do réu, que pouco vem ao caso. Mudar a correlação de forças isso não vai, o escândalo virou paisagem, simplesmente porque revela aquilo que já se sabia e segue rejeitado ou apoiado pelos mesmos de antes, só que um lado tem todas as instituições de “controle”. Enquanto o embaixador inglês que foi exposto adjetivando Trump como ele merece é sacado para dar lugar a outro diplomata escolhido a dedo pelo tiranete alaranjado, Bozo anuncia o Bozokid E na embaixada bruzundanga na sede do império decadente, afinal o rapaz fala inglês (mal), fez intercâmbio e “fritou hambúrguer” com orgulho. Já se fala até que a reciprocidade (que não vale para vistos) irá a ponto de recebermos Eric Trump no posto que já foi de Thomas Shannon, que afirmou agora que desagradava à águia a soberania na Sudamerica e particularmente o papel da Odebrecht, a qual hoje está condenada a reportar aos godemes. Pode-se dizer hoje que Brasil, EUA e Israel formam o eixo do fascismo apocalíptico racista. Trump tem campos de concentração e já anuncia mais uma caçada (a chicanos e familiares!), e Bibi recorre a falsa ciência eugênica. Por aqui, nem com escândalo a inquisição espanhola (a gente já espera a inquisição espanhola) se detém: filho do reitor Cancelier, inocentado após ser levado ao suicídio, é denunciado por uma soma de sete mil reais. O que move essa gente? No Complexo do Alemão, o estado abandonou uma estrutura que os moradores se organizaram para utilizar; estão prestes a serem despejados com brutalidade. Outro segredo de polichinelo: LavaRato grampeava seus presos ilegalmente, agora tem laudo (e a revelação cheira a guerra interna na PF). Outra barragem se rompe, na Bahia; povoados foram evacuados mas parece que não há mortes. Já em Minas, funcionário fornece provas da negligência criminosa da Vale, que acionou a mamãe justiça para evitar depoimentos de seus quadros. A tradição do jabuti, ou seja, conteúdo alienígena enxertado em projeto de lei, ficou tão corriqueira que foi proibida, faz bem pouco tempo. Mas qual! O bozonazismo usou um projeto propagandístico sobre uma tal “liberdade empresarial” para enfiar mais uma erosão dos direitos trabalhistas, que eles vandem como “contratação anticrise”, e segue a marcha da sociedade cyber-escravocrata. Que já existe. Thiago Dias, 33, morreu de estafa por trabalhar diariamente mais de doze horas fazendo entregas; após sofrer um AVC, não teve ajuda nem da empresa “parceira”, nem de polícia, bombeiros ou ambulância, tampouco outro escravo de aplicativo aceitou transportá-lo sujo, até que amigos o levaram ao hospital, onde o trabalhador teria eventualmente a morte encefálica anunciada. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCXCV

julho 11, 2019

Hoje são onze de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. A câmara viu ontem o Nhonho virar primeiro ministro e abusar de seu poder na mesma hora, na votação do texto base do desmonte da previdência: ele encerrou a votação do destaque dos professores para evitar uma derrota. A previdência vai deixar de ser um direito constitucional e ninguém esconde que a capitalização, estrategicamente retirada, volta à baila em breve. Oitenta por cento da “economia” sai de quem ganha até dois mínimos, milicos, canas e alto funcionalismo poupados. Então nós temos os que não precisam de aposentadoria, todos brancos, os que podem pagar um plano privado, a maior parte brancos, e aqueles que na prática não terão acesso algum, a maior parte negros. Será que é o supremacismo do Bannon? Porque o país segue com estrutura tributária regressiva, tolerando a sonegação e concedendo isenções, e empregando metade do orçamento para remunerar títulos. Até o efeito benéfico sobre a economia a imprensa “especializada” já discretamente admite que é uma balela, o que devia ser óbvio porque se tira dinheiro de circulação. Bozo volta a ameaçar universidades e a chamar limites a seu poder de “aparelhamento da legislação”. Glenn, Gleen, ou Green esteve no senado, numa CCJ vazia, e apenas um bozomorista ousou confrontá-lo, timidamente, com questões vazias. Em SP, as lideranças sem teto, incluindo Preta Ferreira, que apresenta o Boletim Lula Livre, seguem presas sem acusação. No PA, a grilagem é legalizada e área maior que o PR tá na pista pra negócio. Anunciadas cento e oito escolas militares em todo o país. Milico assume Anvisa e defende canabidiol e repressão ao mesmo tempo; é como disse o Homer Simpson: “este maravilhoso remédio… que você nunca deve provar, pois vai arruinar sua vida”. Moradores da pacata e bucólica Paraty ameaçam participação de Glenn em evento anexo à Flip, quer dizer, ameaçam a ele mesmo, temendo que lá se instale a “sede do comunismo”. Nem quando existia União Soviética existia essa macarthismo caricato. O pior que nem dá pra rir, porque esse tipo de mentalidade ainda leva à Ruandização desta terra ensolarada, só que em vez de facão vai ser a fuzil. Brasil se abstém sobre execuções extrajudiciais na ONU, num sinal bem claro. Eu quero, sobrevivendo minha bolsa, terminar meu doutorado e me fixar fora, tenho todo esse tempo pra planejar. Isso se o mundo não acabar, é claro.

Acaba Mundo CCXCIV

julho 10, 2019

Hoje são dez de julho de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Morreram Paulo Henrique Amorim e Chico Oliveira. PHA fez muito dentro da mídia tradicional e muito na internet contraditando a pós-verdade da mídia tradicional, e morre como perseguido do presidente, que pediu sua cabeça à Record. Chico Oliveira, antropólogo, foi fundador do PT, depois seu apóstata e crítico, e aproximou-se do PSol. Ontem saiu o primeiro áudio da VazaRato, no qual Tanga Frouxa celebra a liminar do Fucks que melou a entrevista do Lula durante a eleição. Não é uma vitória do MPF, é uma vitória do NovoMeuOvo, que acionou o supremo, ou seja, revela claramente que o interesse maior dos lava-ratistas é a mudança de regime (o que nunca fica claro o bastante com nossa tradição de debater personalidades de forma moralista), e ainda perdem tempo discutindo eventual quebra de sigilo da decisão, isso é bobagem. É um flagrante de um complô (InFucksWeTrust) para silenciar um preso político, e fica registrado. Ex-presidentes da associação de magistrados soltaram nota dura, e por mais que reine a pós-verdade, ainda existe um mundo real, e se às vezes eu sou muito pessimista, o jogo ainda está sendo jogado. O chefe da PF, instituição que já soltou notas sobre a dificuldade em pegar os “hackers” e sobre clonagens indetectáveis, anuncia que não haverá perícia e ainda dá pitaco sobre o conteúdo, exonerando o Sarraceno, seu patrão (que não se exonera). O boato corre de que vem áudio dele chamando o Bozo de medíocre. O Moro chamando alguém de medíocre, medíocre é ele, o Bozo é abominável. Com a grande compra de votos para o desmonte da previdência, admitida pelo Mandetta, Jair está incorrendo em crime de responsabilidade, pois há rubricas sem dotação (é um cheque sem fundo), aponta o PSol. O governo nem passou o desmonte no congresso é já acerta com o judiciário para abafar a contestação, e os manifestantes são barrados de fora; que arremedo de Estado. Enquanto isso, a Lhofa dá as notícias sobre o destino da seguridade social na editoria de Mercado. Bostossauro promete, em culto, ministro do supremo “terrivelmente evangélico”, ou seja, já é um extremismo orgulhosamente extremista, a escolha vocabular não é gratuita. Prefeito no Pará que prometera receber a Funai a bala é pego com seiscentos kg de brizola; eu nem me sinto bem comentando sobre apreensão de droga, só para expor a hipocrisia de um fulano, a maior hipocrisia é da legislação. Por falar nisso, projeto quer aumentar a pena para o crime de desacato, que sequer deveria existir. Bozonazismo quer se desfazer dos aviões de Funai e Ibama com pretexto pífio. A única coisa positiva, ainda que um tanto irônica, foi a reincorporação dos médicos cubanos. Acaba mundo.