Hilário 7

Olhando um pouco em volta, Chico deu outra bola e passou mecanicamente o beise a Dalton à sua direita. O rapaz já tinha entendido que fumar era necessário pra ser homem, e resolveu tentar de novo. Achou estranho aquele cigarro feito com guardanapo de boteco e sem filtro, mas foi adiante. Hilário, que estava olhando lá pra dentro, virou o pescoço e viu o colega careta fumando maconha. Soltou uma risada. Tu é leso, porra. Dalton não se deteve, seguiu as instruções prévias, fumou, tragou e só tossiu um pouquinho. O gosto também era forte, mas era outro. Esse aqui é de que? Esse é de maconha, Dalton. Eita, porra! O Chico Doido deu um soquinho no seu braço: cortei seu rabo, menino? Menino de novo. Ele nem sabia que Hilário fazia isso. Todo dia na TV dizia que as drogas são um caminho sem volta, e lá no bairro dele quem fazia isso é só bandido. A mãe pediu juízo, ela sempre pedia. Mas depois de hesitar um pouco ele resolveu embarcar na noitada e ver o que acontecia. De repente se ouve uma nota de contrabaixo num volume absurdo, seguida de outras mais moderadas e por fim começou um arpejo rápido. Bicho, o Tavinho toca igual o Steve Harris, esses caras detonam, Hilário se entusiasmava. É o Iron Maiden das beiradas, riu fininho o Doido. Agora eram as guitarras que ligavam o equipamento, e logo em seguida o baterista fez uma estripulia ou outra e todos silenciaram. O público, que era o máximo que o espaço comportava, fazia zoada. O Doido guardou a ponta apagada e eles entraram de volta.

Atrás do palco a sinuca continuava, mas a banda nem ligava, e começaram juntos os solinhos e as viradas da introdução da música que dá nome à banda, e a plateia respondia com energia. Será que o Bruce não volta um dia, assuntou Chico, pergunta que todos ali já se fizeram. Dalton arriscou sua teoria. A maconha não tinha feito nada ainda mas a cerveja sim, deixando ele mais falante. Eu acho que o Iron vai arranjar um puta vocalista e a carreira do Bruce vai ser massa também. Hilário retrucou: então eu prefiro que o Iron arranje um vocalista merda, a carreira do Bruce seja uma merda e ele volte pra banda. Quer amarrar aposta? Chico se animou: sou testemunha. Eu não tenho dinheiro pra apostar, defendeu-se Dalton. Quem perder tem que escalar as caixas d’água. Tu é doido. Daqui a cinco anos se o Bruce tiver voltado pro Iron… Cala a boca Hilário, ninguém vai escalar nada. Vamos ver o show. Naquele instante acabava The Trooper e o vocalista falou umas palavras lamentando a saída do Brucidiço antes de eles começarem Fear of the Dark, que fez os malucos vibrarem. O trio havia se postado em um lugar tal que o cobiçado quinteto feminino se juntou a eles quando deixou a mesa. Dalton sorriu pra branquela de vestido, sentiu falta do que fazer com as mãos: não ia tomar mais cerveja, mas refrigerante no saquinho? Ela se chamava Cátia, com C, advertiu. Não era bela mas era jeitosa. Como ela comandasse a conversa, que girava sobre as escolas de um e de outro, ele foi seguindo. Contou seu episódio de expulsão e redenção, ela achou divertido. Com os olhos ele seguia a índia, que foi lá no bar sozinha. A banda começou Aces High. Aos poucos, Dalton começou a sentir alguma coisa, abriu um sorriso. Que foi? Não, nada, vamos lá pegar uma coca? Vamos.

Ele nem sabia explicar, era uma tontura gostosa, e ele andava um pouco mais solto, mas ainda não estava plenamente chapado. E a Cátia era boa de papo, então nesse enlevo eles compraram refrigerante e voltaram pro meio dos outros. Hilário provocou o amigo, que ficou encabulado: marrapaz! Quando os olhos de Dalton cruzaram os de Ludmila ela também o provocava, mas no bom sentido. Estava se sentindo o máximo. Tocava 2 Minutes to Midnight e eles acompanharam o refrão em um inglês tão precário quanto o do vocalista, enquanto batiam a cabeça. Então maconha é isso, uma tonturinha? Tá gostando, Dalton? Só não conta pra todo mundo. Claro! Seus pais especialmente. Claro, claro. E lembrou-se de sua mãe. Juízo, menino, ela disse. Ela não disse menino. Mas não teve tempo de ficar ansioso a respeito, a Ludmila havia voltado a se sentar e ele decidiu que era a chance de ele simplesmente ocupar a cadeira de boteco ao lado: posso me juntar a você, senhorita? Nunca tinha feito isso antes. Claro, Dalton. Ela tinha guardado o nome. E você estuda no Carmela, também? O assunto também estava fácil, era o mesmo da Cátia. Eu estudo, naquela bagunça, lá. Ah é? Bagunça dos alunos ou da escola? Os dois, né? O Pitágoras também, mesma coisa. E os dois riram. Quando o uníssono de baixo e guitarras anunciou Revelations, o Hilário ficou tão doido que abordou Dalton no meio da paquera com os índices e mínimos das duas mãos erguidos: metal! Figura. Ela disse que os avós eram ribeirinhos por um lado e que adorava açaí. Ele disse que gostava de açaí, mas não suportava Tacacá. Ela disse que tacacá era tudo de bom e por aí foi, até que a banda fez uma pausa dramática e iniciou Wasting Love, que é uma música lenta. Dalton se levantou e tirou Ludmila para dançar, que aceitou com risinhos marotos. Houve uma reação, e era difícil dizer o quanto era zombaria ou apoio, mas um casal resolveu seguir a deixa, então isso se tornou bem rápido algo natural.

Entretanto seu par foi arrancado dele pela segunda vez no mesmo dia: era a Cátia, convencida de que já havia agarrado o pobre “prêmio” antes, e depois de uns sopapos bloqueados e outros certeiros de cada lado vieram as amigas apartar. Uma foi levar Cátia em casa, a outra foi levar Ludmila em casa, que preferiu não se despedir, a outra foi pra casa só, enquanto Dalton ficou lá sem nenhuma das duas, ou três, e sem o primeiro beijo. Hilário tentou reconfortá-lo: metal! Era o melhor que podia. Então Dalton aceitou a sugestão, balançando a cabeça na mesma música que dançava colado há pouco. Veio então o intervalo, todo mundo buscou o bar ao mesmo tempo, mas não o Chico Doido, que chamou Dalton e Hilário lá fora, com a ideia de tratar a ponta. Hilário, que coisa maluca, duas vezes no mesmo dia. O quê? Oxi, agora a Cátia arrancou a Ludmila enquanto eu dançava com ela, e hoje à tarde o cara do primeiro ano arrancou a Priscila. Puta nojentinha essa Priscila. Ah, não enche. E o que você fez? Oxi, eu deitei ele no chão. Não! Oxi. Hilário ergueu a mão do boxeur, faltou o cinturão: como você não me contou isso? Oxi, você não perguntou! Chegou a vez dele, a ponta se desfazia, o Chico já tinha mandado um cuspe pra ver se melhorava, e sem piteira, ainda, estava difícil fumar, então a voz da experiência (o Doido) aconselhou a formar um triângulo com polegar e índice de uma mão e índice da outra, e funcionou, o maconheiro novato, herói e mártir do dia deu mais uma longa bola. Quando a ponta acabou eles foram conversar com a banda. Dalton ficava mais calado, mas de vez em quando dava risadinhas às sacudidelas, ou outros percebiam e zombavam. De repente ele decidiu que ia ao bar e ia pedir uma cerveja, e se perguntassem sua idade ia dizer dezoito. Dezoito, que palavra engraçada. Parece que você está pulando uma poça, de-zoooi-to. Quem o via rindo só ou ria ou julgava, mas quem ia imaginar o momento mágico que o rapaz estava vivendo? Me dá uma cerveja! Tá meio quente. Não tem problema. Os trocados também eram os últimos da noite, e após estourar orgulhoso o lacre da cerveja, homem apesar de tudo, quase cuspiu o conteúdo. Continuou a beber pra fazer uma cena por um tempo mas depois abandonou a lata. Os caras do The Trooper começaram a segunda parte. O Hilário fazia uma careta e ele se contorcia de rir, não estava preocupado com nada, deixou-se levar no élan. Cara, já parou pra pensar que “tudo junto” se escreve separado e “separado” se escreve tudo junto? Quiá quiá quiá… Muito engraçado. É hilário! Caramba, seu nome é Hilário! Quiá quiá quiá quiá… E ele já não cabia em si, abriu os braços como um avião e saiu passeando pelos espaços em branco, até que chegou em uma das mesas de sinuca, escalou ao tampo com a ajuda de uma cadeira e, não mais um avião, era um pássaro pulando lá de cima batendo os braços. Estava tão feliz que não sentia vergonha de ser menino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s