Afinal, o fino

Como se o maçarico sarasse os sírios, e séries de sáurios arejassem vimes, competissem por tâmaras e apetecessem símios. Na verdade o dardo ardia doido, e o reverso do parceiro é a cerveja; a virgindade, o adendo didático dos dáctilos. Afinal, o fino e a faina fenecem sêmen, e o cimento mente se disser que a decência assenta os santos. Destarte a torta articula cúmulos, macula incólume a meleca, e o mameluco cola um leque no colo quando já a hortaliças lisérgicas cogitam tangerinas genéricas. Depois não digam que a goma amamenta a manta, que as possibilidades badalavam dilúvios lívidos. Avalie o vale, que leva larvas a valorizar o zarolho. A casquinha do cânhamo nunca escancara o caráter da tertúlia, mas o pipoco da apócope cospe espetos tópicos, e basta o bestunto tinto atentar aos tenentes que os contornos ternos do norte permeiam mímicas. Pelo menos isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s