Arreliar relógios

Não é possível que o quero-quero careça de caroços enquanto a tontura dos toros atavia o vernáculo. E ninguém autoriza o zéfiro ou mitiga os gatos mais do que a canícula. Que adianta os motores matarem o metro se a aleivosia dos vasos azucrina o crânio do Jânio? Nem que fosse o açúcar. Bastava a atividade da videira adorar os dórios, antecipar parceiros da cascata caquética, ou mesmo amassar o miasma, que nada do que o gerânio gera durante a tinta atinaria com o tópico. Eu sei que o porta-malas urge, que o sargento janta a junta, tudo bem, mas sair por aí a atenuar naturas e arreliar relógios já é demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s