Despistar o pistache

Desde que o desdém do doido adocica o docente, pode-se dizer que a desídia destila a tala, que o impreciso prescreve, ou não? É possível que a suposta pasta aposte em despistar o pistache? As coisas como estão o caranguejo gagueja, e a gotícula articula a culatra. É preciso joelho. Justamente a janta. Antes que a varanda vire viveiro de víveres. Quando chove a chave se vexa, nem adianta dilatar tarados como se fosse uma paráfrase do friso. Pelo menos manuseia o zippo, apazígua o zigurate e o iogurte. Tamborila a larica dos encômios e economiza o misantropo, tenta atentar ao tanto de tentos. Salvo engano os gonzos da zanga angariam garimpos, e o percevejo percebe sobejamente o sabujo. Só o que falta é calafetar fatias fátuas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s