Do tamanho do Minho

Quase nem faz diferença que a salamandra solape os pólos, quando o solstício dos sândalos é do tamanho do Minho. O que se esperava dos parvos era a solidez dos décimos, mas o que se viu foi a dissolução dos soluços. Agora mesmo que o canário narre um rodo a saturação dos tentáculos mal pode compensar a expansão das pocilgas. Mas não há de ser nada, pois após a posse dos passos, quando a certeza da tesoura entusiasmar a masmorra, todo o tecido dado aos druidas antes que arruda rodasse será açambarcado pelo látego complacente do plâncton. E aí a caçapa é que canta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s