Tapear os tapetes

É impossível dirimir a mira da merenda a cada cadência que os impropérios insistem em sintetizar. Não bastava a concorrência concêntrica dos sátiros, agora é o sonho do guarda que anda a estender os tendões e tapear os tapetes. Mas o simples plasma plúmbeo troveja a vagem venal, e costuma se dar que o estupor claudique, aí até mesmo o ventilador do ventríloquo esquece o quociente. Quem diria que o retorno do terno almoçaria com as vicissitudes? Ou que a parvoíce dos bálsamos suplantasse a sessão? Seria preferível irromper no mármore a pestanejar sob suspeita, mas que se há de fazer? Nem sempre o sabre sobra, e a esta altura melhor seria salivar sem motivo do que inventar um ovo. Pelo menos disseram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s