Atrapalhando os trapézios

Não é a primeira vez que o engodo do gado galvaniza a cizânia do cisto atrapalhando os trapézios. Por mais que esteja a cerca certa acerca do circo, não é costume da praça traçar serpentes na textura do solstício. Cada vez que a taturana tortura um trauma uma pestana pasta a pestilência, e até o sistema do sismo assoberba a si mesmo. Quem devia ter fustigado as gárgulas era a agonia gástrica dos gostos. Agora o gorila tamborila os bilros de acordo com a cômoda. E a perspicácia da páprica já não depende das ponderações do lêmure, nem tampouco a papoula geme atenta nos intervalos do vale. O assalto da solércia salienta os sinos passados. Os ninhos de asteroide pegaram gonorreia. Passou da hora de diluir os lábios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s