Jactâncias adjacentes

Ninguém supunha que o essencial das conchas se esvaísse nas jactâncias adjacentes. Veio como os coqueiros caminham, acumulando custos na algibeira do desvario, e agora é isso: cerceiam até os alicerces. Não acabou o menoscabo do cabível, e no entanto os truques ébrios tartamudeiam qualquer conceito que possam. Assassinar a aurora nem o vento pode, nem o último ornitorrinco vai usar relógio, então o melhor é praticar a jardinagem panteísta, talvez colecionar relâmpagos. Aqui a alegria do totemista tempera um tipo emprestado, e o fulcro do lucro tem permissão para posar para seu retrato. Tem comida que sabe mal, e tatus entre os almanaques. Quando parar de chover fogo as banalidades voltam ao ninho e as empilhadeiras jogam tênis. Dois mais dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s