Acaba Mundo CLXXVIII

Hoje são dezenove de dezembro de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Na Terra de Vera Cruz, a que chamamos vulgarmente Brasil, o ministro Marco Aurélio, que insiste em observar a constituição e impedir o cumprimento antecipado de pena, solta uma liminar que soltaria Lula. Os comandantes do exército se reúnem e, como bom cãozinho, o presidente Toffee cassa a decisão. O judiciário fez como Buckingham, que ajudou Ricardo de Gloucester a se tornar um rei ilegítimo e se fudeu logo que isso aconteceu. Vivemos mando militar, e da última vez já apostaram que não endureceria. Mas deixa isso lá do outro lado do Atlântico e em tropicais latitudes (e platitudes). Ontem eu, que talvez algum dos meus “inúmeros” leitores saiba, traduzi a peça A Chaste Maid in Cheapside, de Thomas Middleton, fui conhecer Cheapside, bebi uma Guiness bem no endereço onde Middleton nasceu e visitei St. Lawrence Jewry, igreja onde foi batizado. Infelizmente a catedral de St. Paul estava fechada. Mais tarde conheci a nova sala do Globe Thetare, Sam Wanamaker Playhouse (homenagem ao idealizador do Globe moderno), que reproduz um teatro fechado, iluminado a velas, como seria o Blackfriars, residência de inverno dos King’ Men. Não vendem lugares em cima do palco como se fazia na época, mas eu me sentei a menos de dois metros do tablado, e os atores e atrizes chegavam a roçar nas minhas pernas em suas movimentações. Apesar do apelo à tradição, a montagem de Doctor Faustus, de Christopher Marlowe (que tinha a idade de Shakespeare, fez sucesso mais cedo, tornou-se espião da coroa e por isso ganhou seu mestrado de Cambridge mesmo sem dar as caras, era ateu e homessexual, e foi assassinado numa taverna aos vinte e seis) ousa ao elencar duas mulheres para os papeis principais de Faustus e Mefistófeles. Jocelyn Jee Eisen, uma negra imponente, esteve ótima como she-Faustus, mas Pauline McLynn como o anjo do inferno para mim foi a melhor em cena (menção especial a Sarah Amankwah, de uma expressão vocal e corporal impressionante, em vários papéis). Destaque para a inspiração no Candomblé para a ótima mascarada dos sete pecados capitais. All’s Well da RSC cinco anos atrás incluiu capoeira. Meu assento não era confortável, sem encosto e exigindo uma torção da coluna, mas o que a gente não faz pela reconstituição histórica, né? Comprei a caixa com dezenove devedês do Globe; vários eu já tinha, mas eu queria dar esse presente a mim mesmo há tempo, e não era possível encomendar. Quero ver caber na bagagem agora. Outra coisa ótima aqui é que quando eu digo que estou traduzindo Lucrécia, que é a primeira tradução rimada, as pessoas ficam impressionadas. No Brasil, mesmo na jornada, só a Lavínia teve alguma reação (e eu precisei fazer força pra não me apaixonar, já mencionei). Devo registrar ainda que além de Macbeth amanhã, consegui um ingresso para Richard II no Almeida Theatre, dizem que é um lugar bacana. Acaba mundo, mas espera ao menos o fim da minha viagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s