O quarto traseiro dum conflito

 

clark

Esses dias eu tenho fagocitado muita dissonância, sabe? Até o porteiro pediu vistas do processo, como se fosse o quarto traseiro dum conflito. É cansativo especular com cactos durante a textura, o último que completou os gomos tamborilava na pastilha sem rumo. Eu não saio de casa sem pasmo, começo contratando lebres, lembrando do tostão hipotético. Pois não é de hoje que o coreto cora ao cortar contato com a tepidez inócua das armadilhas miscíveis em pranto. Tentaram me convencer outro dia que os menestréis comiam incenso, que bajulando o telescópio se pode dormir em paz. Mas minha missão é misturar o sofá com o silogismo buscando a raiz da imersão. Como eu ia dizer, tudo hoje é tudo, e mesmo que eu tenha que voltar pra buscar as sandálias, ou o pote que estava bem ali agora há pouco, o prêmio é do sorriso. A realidade é que é teimosa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s