Acaba Mundo LVII

el-burro-y-al-familia1

Hoje são vinte e seis de agosto de dois mil e dezoito e o mundo não acabou. Estou batalhando com meu projeto de doutorado. O prazo está terminando e a adrenalina dispara. O pior, eu descobri que sou um embuste. Quer dizer, eu nunca fui muito fã dos protocolos e das convenções da Cadimia, mas mesmo o que eu tinha aprendido, parece que eu esqueci tudo ficando uns anos afastado. Não fosse pela ajuda paciente da professora eu não chegava nem perto. É uma bela lição de humildade. Mas também dá uma insegurança da porra. Eu sei que é comum na trajetória acreditar que não é capaz, mas a questão que me ponho é se fui talhado pra isso. Nesta idade, eu já deveria saber, afinal está fora dos planos resolver ser contador ou muito menos astronauta. Bobagem, é só uma questão de calibrar as opiniões e comportar-se direitinho, comer a grama que é preciso comer, afinal minha conversa é mesmo esse tal de Shakespeare e adjacências. Vai correr tudo bem. O depois a gente vê depois, se vai rolar sanduíche, se vai rolar sequer bolsa, ou se ainda vai existir universidade pública no fim. Ou se o mundo já não terá acabado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s