Acaba Mundo CCCXXX

agosto 21, 2019

Hoje são vinte e um agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. O presimento, em vez de mobilizar exército e convocar voluntários para combater a catástrofe, culpou as ONGs que defendem a Amazônia de queimar a Amazônia por puro despeito, e a imprensa local foge à responsabilidade de dar a real dimensão; cabe à Telesur divulgar imagens das queimadas, parte espontâneas, parte provocadas, que assolam o continente. Já as ONGs, pedem a improbidade do antiministro Salles. Depois dos nordestinos, governadores nortistas buscam negociar diretamente com os doadores do fundo Amazônia. No congresso, busca-se passar PEC para liberar mineração em terras indígenas desrespeitando a constituição e tratados internacionais; na comissão de constituição e justiça, invocar a constituição não resolve. VazaRato expõe Tanga Frouxa planejando monumento fascista a si mesmo (um pilar ereto ante os caídos sistemas judicial e político); até o Sarraceno era mais sensato. A manobra de Bolingbroke para expulsar Aécio naufragou. E o Frota saiu batendo no Bozo: onde está enterrado o Queiroz? Evento dobre DH é cancelado no IFCE, e secretário de cultura se demite após censura. Dezessete estatais, de Correios a Casa da Moeda, serão rifadas. Em Charqueadas-RS, houve um ataque a machado a uma escola, com professora e três alunos feridos, com o agressor fugindo. O Trump está desembestado, talvez por estratégia eleitoral, e já cancelou encontro com a premiê dinamarquesa porque ela nem quer conversar sobre vender a Groenlândia, além de prometer rasgar a constituição no que tange à cidadania de nascidos de “ilegais”. Os campos de concentração estão lá todo o tempo, e foi aprovada a detenção indeterminada. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXIX

agosto 20, 2019

Hoje são vinte de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. No dia em que se completam quinhentos dias de sequestro judicial de Lula, Haddad é condenado em outro processo fajuto a quatro anos de semiaberto. A mesma denúncia, sobre suposta grana da UTC na campanha de doze a prefeito, deu processo na justiça comum e na eleitoral; tempo atrás o da comum caiu, eu achei que estava encerrado, agora condenaram na eleitoral. O procurador mal tenta disfarçar seu furor anticomunista. Haddad alega ser condenado por crime diferente da própria denúncia. O PT está achando o Sarraceno enfraquecido e arrisca uma CPI da VazaRato, dizem que o centrão topa, vamos ver. O Guedes foi flagrado sendo poupado pela turma do Sarraceno, numa história que nada tem com a Petrobras, aliás. A Receita ameaça interromper o fornecimento de CPF e as restituições de imposto de renda; às vezes esse catastrofismo orçamentário parece alguma estratégia, do contrário o estrago é maior do que eu pensava, e o ano acabou em agosto. Bem a era é nova, ninguém disse que seria melhor, e a caravana nazibananeira vai passando ante cães que mal ladram, desalentados. Ontem houve um ato na São Francisco, Moro Mente, mas ainda assim é tímido, não há a consciência coletiva de que isso deve ser parado, talvez nunca haja, e qualquer superação, a saber quando, será mais algum rearranjo por cima. Enquanto isso, a desigualdade piora há dezessete trimestres, na mais efetiva redistribuição de renda da história, só que às avessas. No Rio, um rapaz surtou e assaltou um ônibus com uma arma de mentira, na ponte Rio-Niterói; foi morto por um sniper, o que pode-se até argumentar se é justificado, o que é inadmissível é ver o balofo governador celebrando a morte como a um gol. Também no Rio, caveirão voador está lançando granada na Cidade de Deus. Bozo ameaça recuar do pimpolho em Washington, temendo derrota, e recorre a imagem patriarcal de uma noiva virgem ficando grávida: “você não desiste?”; mais tarde o pimpolho garantiu que não há recuo. A Globo avança no doisladismo engajado ao emparelhar falas de Bozo e Lula sobre soberania na Amazônia, faltou comparar a prática. Na federal do Ceará foi desrespeitada uma vitória esmagadora para nomear reitor/interventor. Deputados democratas na gringa cobram explicação ao DoJ sobre ilegalidades da LavaRato. Na Itália, após Salvini tirar sua Lega da coalizão para forçar nova eleição e capitalizar sua popularidade, o primeiro ministro Conte deixa o posto denunciando o tiranete. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXVIII

agosto 19, 2019

Hoje são dezenove de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Hoje foi um dia de merda. Aquela intermitente sensação de vazio e falta de sentido é cumulativa. Tudo que seja não lutar contra isso parece vão, e estamos lutando? Uma pauta específica aqui outra ali, uma reação institucional aqui outra ali. Primeiro as boas, então: no Rio, alunos do Cefet põem o interventor pra correr, a mesma cidade vê ato por Lula na Central, e PSB protocola nova ação pedindo nulidade da condenação do ex-presidente. Na Holanda, o letreiro I am/azonia foi erguido na praça dos museus, onde costumava haver o tradicional I am/sterdam. Na Alemanha, os importantes Der Spiegel e Die Zeit convocam boicote à carne e à soja brasileiros; infelizmente, business é business, as usual. Bozo intervém na receita, cujo número dois (no pun intended), o administrador efetivo do órgão, foi sacado; servidores da instituição ameaçam debandada, com os brios corporativos feridos (o mesmo passa na PF). O novo PGR anunciado pelo Nazi, o ilustre desconhecido Soares, tá todo sujo, de aposentadoria fraudulenta a assinatura forjada, enquanto os milicos reagiram e pediram (meu palpite desde sempre) alguém do MPM. Agora calcula, o nome do cara é Weitzel, já não me basta um Witzel! Mais um pra quem eu devo ter dirigido, pro favorito do Tanga Frouxa, o Aras, eu sei que dirigi na PGR; teve até o dia que eu recusei uma saída do gabinete do Janot pra PF porque assumi que era Lava Rato (meu ato de rebeldia cívica eu fiz). Governo nega lei de acesso à informação sobre o “abafa ou não abafa” de Sarraceno a Bozo e a eterna conversa da fraude na cota feminina. Censura no audiovisual é oficializada. Segue a polêmica da lei de abuso de autoridade, que pra mim sempre pareceu a proibição do proibido, até o Sarraceno argumentou isso em alguns dos vetos que pediu ao chefinho; o Semer, que é uma opinião jurídica que eu sigo, desaprova a lei: punitivismo para combater punitivismo. Hoje também foi o dia em que as queimadas da Amazônia (e Pantanal, e Bolívia e Paraguai) chegaram ao sudeste, e anoiteceu à tarde; choveu com cheiro de fumaça. Por lá, os hospitais estão lotados, morre bicho e morre gente. Os fazendeiros declararam que queriam mostrar serviço ao capetão. Já os gringos estão testando mísseis de médio alcance após o fim do acordo. Um dia de merda. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXVII

agosto 19, 2019

Hoje são dezoito de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Nova VazaRato mostra como os pimpolhos de Curitiba tinham um peixe na Receita e uma predileção pelo sigilo de qualquer pessoa relacionada a Lula, ou mesmo os simplórios ligados ao sítio de Atibaia; Leonel veio a se tornar “homem do Moro” no Coaf, o mesmo empregado para ameaçar Glenn. E eu me lembro quando, após longa “batalha”, teve gente celebrando que o órgão não iria pra superpasta do Sarraceno. Já o Jair quer intervir na aduana do porto de Itaguaí-RJ, controlado por milicianos, por onde sai brizola e entram fuzis. Pretende ainda nomear como PGR um peixe indicado pela defesa do filhote investigado. Vamos acompanhando, sem muita paciência para seguir cada detalhe, saturado dessa porra. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXVI

agosto 18, 2019

Hoje são dezessete de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Em Rondônia, onde passei minha infância, e no Amazonas, amigos do Bozo promoveram o Dia do Fogo, e a fumaça foi vista dos satélites e impediu o pouso de um voo em Porto Velho. Já na minha época o vento trazia as folhas carbonizadas na estação seca. Em Navegantes, SC, cargueiro é barrado com trezentos e cinquenta e três toneladas de lixo contaminado. Não sei se isso se liga com a relação entre milícia, as empresas do sete-um de Itaipu, e o negócio do lixo, que o Nassif tem exposto; faz todo sentido que transformem o país num aterro para os godemes por uns trocos. Bolso fala que exército está quebrado e vai dispensar um terço dos recrutas, pois eu digo que quer transformá-los em paramilitares. MEC anuncia atribuição de bolsas por “algoritmo”, técnica de falsa isenção já questionada na metrópole, adiantando favorecimento a engenharia e medicina; o mesmo sinistério tem realizado intervenções nos Cefets. Governo compra sabatina do filhote como embaixador (mini-presidente, nas palavras dele) com cargos para os senadores, à luz do dia. Frota, apóstata aparente do bozonazismo, ajoelha-se frente a Bolingbroke Doria, e metamorfoseia-se em tucano (Bolingbroke é quem depõe Ricardo II e se torna Henrique IV). Bozo tenta se ancorar em Enéas (pobre barbudo, que era uma extrema direita esclarecida e nacionalista), para insinuar que Alemanha e Noruega queriam os “bens” da Amazônia, quando ele mesmo afirmou que ia explorar a floresta com o “primeiro mundo”, no caso os godemes. Lá na gringa, Rashida Tlaib e Ilhan Omar foram impedidas de ir a Israel; Tlaib recebeu permissão sob condição de censura, e recusou. O monstro alaranjado, encorajador dos supremacistas, quer declarar o movimento antifascista como terrorista. E quando Art Spiegelman, premiado autor de Maus, compara o tiranete a um vilão de quadrinhos, é censurado pela Marvel. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXV

agosto 16, 2019

Hoje são dezesseis de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. O genocida Mitzel não só culpa defensores dos DH pelas mortes da polícia como duvida da autenticidade de desenhos das crianças da Maré retratando o horror. O Bacen vai injetar dólares no mercado, uma vez que mesmo os capitais especulativos estão voando, pondo talvez um fim ao ciclo que se iniciou no plano real, de atraí-los para manter a moeda, e começando a torra das reservas. O próprio Bozo diz que o dinheiro acabou, gastaram tudo com a aprovação do desmonte previdenciário na câmara. Um bilhão das emendas saiu do MEC, reconhece o Weintrolha, e o CNPq passa o ponto em setembro. VazaRato mostra Tanga Frouxa trabalhando por Aras na PGR e citando cinicamente Martin Luther King, além de esquema no metrô SP no qual os tucanos foram poupados novamente. Dodge, desencantada da recondução, resolve agir e pede inquérito sobre inquérito preguiçoso sobre Marielle. Bozo volta a chamar médicos cubanos de guerrilheiros disfarçados, e censura projeto audiovisual de temática gay e negra. Até o ex-ministro e magnata da soja Blairo Maggi está com medo do Bozo, e só nos resta esperar que atrapalhe bastante os negócios para ser sacado logo, e também que seu esteio perca para Sanders ou Warren. A Venezuela está sob cerco naval e uma embarcação sua foi detida pelos godemes no canal do Panamá, a Inglaterra já está na parada e a Rússia enviou uma frota. Gibraltar sinaliza soltar petroleiro persa e os godemes impedem. Na Caxemira, fogo é trocado na fronteira, com oito soldados mortos. Já tem gente falando numa boa em soltar bomba nuclear. Enquanto isso, Trump mete na cabeça que quer comprar a Groenlândia. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXIV

agosto 15, 2019

Hoje são quinze de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. PGR é contra pedido do petê por punição ao Sarraceno pela destruição das provas do hackey de Araraquara; eu acho que nunca houve prova nem hack, dois ministros do supremo pediram o material com prazo e estardalhaço e nunca mais se disse palavra a respeito. Também caiu no esquecimento a CPI da mamadeira de piroca anuncia pelo Alcoolumbre. Tanga Frouxa é abandonado pelos advogados nos processos do CNMP; ele vai acabar sendo o boi de piranha que deixará passar uma boiada de ilegalidades institucionais. No Rio, volta a valer liminar que busca reduzir danos das operações dos meganhas, e o genocida Mitzel recorre: para ele “atribuição exclusiva do executivo” significa não dar satisfação a ninguém. As explicações para a famosa “violência do Rio” devem ser retraçadas ao fato de que é o lugar que mais recebeu escravizados, não porque eles sejam violentos, mas porque o Estado sempre precisou manter na ponta da baioneta essa população, antes e depois da dúbia libertação. Também no Rio, o Nazi interveio na PF, que investiga o filhote, enquanto reclama da Receita, que mira seu irmão. Grupo parlamentar que inclui a Talíria tenta reverter PL do Kim que “flexibiliza”, como se gosta de dizer hoje em dia, o licenciamento ambiental. Salles reclama das unidades de conservação: olhar ideológico sobre a exploração de madeira. E a Noruega também mandou avisar que não tem mais grana pro Fundo Amazônia, Bozo foi bem sucedido em sabotá-lo. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXIII

agosto 15, 2019

Hoje são quatorze de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Enquanto Bozonazi sobe o tom das ameaças no Piauí, prometendo varrer a esquerda, quando nunca varreu o próprio quarto, em Brasília estão ao mesmo tempo as bravas indígenas e as bravas Margaridas do movimento por terra. Aprovada na câmara a MP da liberdade patronal, a qual o insuspeito Valor chamou de anarcocapitalismo, que ameaça domingos e horas extras, diminui as ações fiscalizatórias e protege o patrimônio de empresário com dívidas fiscais e trabalhistas. Estou evitando entrar na questão da avó abandonada da primeira dama, ou naquela de sua roupa íntima, mas o Bozo debocha da velha dizendo que o SUS é para todos e que parente bom é parente longe, enquanto a conje dele destila sua breguice sobre as lingeries (que exibira em vídeo, o que em si não é nada mas recebeu críticas moralistas) dizendo que o capetão as rompe com o dente. E o monstro sugere à Merkel que use o troco negado para reflorestar o próprio país, que tem um terço de seu território coberto de floresta. Que provoque, quero ver um boicote mundial à carne brasileira: a ditadura vai se dobrar e eu vou fazer churrasco todo dia. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXII

agosto 14, 2019

Hoje são treze de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Hoje foi o dia de protestos contra o desmonte do ensino superior, mas não apenas, e eu fui lá ao Largo do Rosário, onde o povo foi surpreendido pelo frio mas agitou seus estandartes contra a ventania de agosto com muito brio. O pessoal da pós ainda foi celebrar o aniversário da crush, mas o sequela aqui não conseguiu achar o bar; sempre me sabotando. No Rio, um delegado rastreou seu celular perdido até uma favela e fez uma operação com quinze meganhas, e suas indefectíveis metrancas, para recuperá-lo. No Maranhão, a polícia realizou uma reintegração de posse e Dino é o mais novo alvo de linchamento amigo. Tal foi o Freixo no caso da entrevista, o qual agora é linchado do lado de lá por fotos no Copacabana Palace; a esposa dele foi maravilhosa: eu paguei e levei meu marido, dá licença? Frota foi expulso do PSL; pra mim essa rusga é simulada, falsa oposição ocupa espaço da oposição, e um bocado das desavenças pretéritas também deve ter sido. O mais irônico é que o petê passa a ter a maior bancada. Na Itália, o fascista no berço do fascismo, Salvini, quer dissolver o parlamento (novas eleições, não fechamento do legislativo, calma) e escantear de vez o primeiro ministro, que eu já tinha até me esquecido que se chama Conte. Acaba mundo.

Acaba Mundo CCCXXI

agosto 13, 2019

Hoje são doze de agosto de dois mil e dezenove e o mundo não acabou. Mulheres indígenas ocuparam o ministério da saúde e dançaram; o genocídio começou desmantelando o sistema de saúde do índio, aparentemente. Deputado paraguaio faz denúncia estarrecedora, se algo ainda estarrecesse, segundo a qual Bozo estava travando uma guerra econômica para dobrar os vecinos a seu um sete um, incluindo manipulações no negócio da energia e também, pasmem, a ameaça de interromper a venda de arroz ao país; bem, ele homenageou Caxias antes do Ustra. Guerra econômica também na Argentina após triunfo da esquerda nas primárias; capitais especulativos parecem às vezes servir mais para isso do que para… para que servem capitais especulativos mesmo? No Equador o lawfare persegue Correa, que tem prisão decretada. MP entra com liminar para barrar Bozokid em Washington. Mefistoffolis quer desidratar a constituição, aquela que já vale só quando não contraria as operações de mudança de regime ou o racismo institucional, enfim, todos os códigos não escritos que valem mais do que a pobre cidadã de oito oito. Bozo foi derrotado pelo judiciário em sua interferência no mecanismo contra a tortura, a qual não esconde endossar; a ver. No Piauí o Sesc vai inaugurar uma escola militar (?) batizada com o nome do monstro; talvez essas escolas militares formem uma geração de rebeldes, ao menos. A vaza rato abriu um hidrante de revelações, e são mais divertidas que a última. Há um episódio logo após o abate, digo, o acidente do Teori. Tanga Frouxa negocia com entidades impiximeiras, vai saber por qual magnata do petróleo supremacista branco financiadas, um lobbyzinho malandro para nomear o relator da lava rato do agrado deles. Queriam o Barrosão, mas o Fachin tava beleza, ainda não era aha uhu nosso ainda; só não podia ser nenhum dos remanescentes da segunda turma (Leviandowski, Gilmar, Marco Aurélio e Mefistoffolis). Os pedidos de discrição e os deboches da própria ilegalidade (“vou te usar de laranja em outra coisa”) surgem em profusão. Em outro trecho, fala-se em ganhar o apoio há muito ganho do Careca para a inconstitucional prisão antecipada (mais uma vez, são quarenta por cento de prisões antecipadas no sistema carcerário). Por fim, Sarraceno surge mandando preservar os telefones de Cunha, o queridinho cuja prisão os maldosos insistem ser uma farsa (a crer em notícia recente de que ele foi recusado como árbitro de futebol de Bangu, lá está ele sim). E dona Bradley Dodge prorroga a lava rato por mais um ano, nem que seja para não dar o braço a torcer, mas adverte para agirem dento da legalidade: mau menino, mau menino. Ela também, ficou claro, segurou processos contra o Jair na esperança da recondução. Amanhã são os protestos pela educação, mas não apenas. Eu fui a uma reunião da pós e hoje preparamos cartazes; vencendo minha misantropia e me sentindo bem em sair da cadeira, quero até, parece, reincidir naquele velho hábito maldito das paixonices súbitas. Não aprendo? Acaba mundo.